Agendamento

 

Código de Defesa do Consumidor
Quarta, 23 Junho 2021 13:24

Servidores do Procon Assembleia concluem curso de atendimento remoto

O Programa de Orientação, Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Assembleia) concluiu no dia 18 de junho de 2021, por meio da Célula de Qualificação de Servidores da Escola Superior do Parlamento Cearense (Unipace), o curso de Atendimento Remoto para 35 servidores da Assembleia Legislativa do Ceará lotados no órgão. A atividade foi promovida por videoconferência.

Ministrado pelo professor Cleyton Monte, da Universidade Federal do Ceará (UFC), o curso forneceu aos servidores do Procon Assembleia uma compreensão do atendimento remoto, permitindo-lhes identificar as necessidades dos consumidores que utilizam o atendimento por e-mail disponibilizado pelo órgão, bem como atender com foco, empatia e utilizando uma comunicação clara e objetiva, que gere compreensão e crie sentido no relacionamento entre consumidor e servidor. Outros assuntos abordados no curso foram a legislação e os desafios do atendimento remoto, como o direito do servidor à desconexão, por exemplo.

O curso faz parte das demandas de treinamento e desenvolvimento para 2021, enviadas pela gestora do Procon Assembleia, Valéria Cavalcante, à Célula de Qualificação de Servidores da Unipace e atende a uma oportunidade mapeada na matriz de riscos e oportunidades do Sistema de Gestão da Qualidade do Procon Assembleia.

Sobre o curso

Para Valéria Cavalcante, o treinamento de servidores é a base para a prestação de um serviço de qualidade, “pois proporciona um ganho para o órgão, que contará com servidores mais bem preparados para reagir de forma mais eficaz aos problemas que surjam no fluxo de trabalho, como falhas e atrasos, e para os servidores, que desenvolverão suas capacidades, habilidades e atitudes, tornando-se profissionais mais bem preparados para o mundo do trabalho”, pontua a gestora do Procon Assembleia.

A orientadora da Célula de Atendimento e Triagem do Procon Assembleia, Ana Maria Albuquerque Pontes, revela que o curso apresentou novos caminhos a serem seguidos no atendimento ao cidadão e que foi instigador, à medida que despertou a necessidade de refletir sobre a qualidade do serviço prestado ao consumidor.

“Considero de fundamental importância ter participado desse curso, pois o conteúdo despertou em mim e nos meus colegas de trabalho a necessidade de continuarmos buscando o aprimoramento por meio de cursos práticos na área da tecnologia voltada ao atendimento. Pudemos entender mais, por exemplo, da plataforma Zoom e seus mecanismos, sobre meet, o direito à desconexão, a legislação sobre o trabalho remoto e segurança de dados. Além das informações apresentadas, o curso despertou o interesse pelo aprimoramento”, acentuou Ana Maria.

O curso de Atendimento Remoto foi ministrado pelo cientista político e doutor em Sociologia pela UFC, Cleyton Monte, que ministra cursos na área de cultura organizacional, administração pública e sistema político. Segundo Cleyton, foram abordadas as mais diferentes interfaces do atendimento remoto, dentre as quais, por exemplo, a questão da tecnologia da informação, o impacto do atendimento remoto em tempos de pandemia da fundamentação jurídica, a relação entre trabalhador e as novas ferramentas e as especificidades do atendimento remoto para o direito do consumidor.

“Durante as aulas tratamos também sobre mediação de conflitos e técnicas de negociação, bem como sobre a importância do servidor se atualizar e buscar conhecer essas novas ferramentas, porque elas vieram para ficar. Não se trata apenas uma questão conjuntural de uma crise devido à pandemia (do Coronavírus)”, afirma o docente.

Ainda conforme Cleyton Monte, foi trabalhado o atendimento remoto não apenas como ferramenta, mas como um modelo que possa reafirmar o atendimento humanizado, com técnicas de empatia, agilização e cooperação para que o direito do consumidor seja preservado. “Acredito que todos acabam ganhando”, destaca o professor.

Texto: Ascom Procom/Núcleo de Comunicação Interna da Assembleia Legislativa.

Ler 105 vezes